Gabell Jardins marca a verticalização da Rebouças

Imagem do case

Detalhes do case

Tegra Incorporadora

Empreendimento

Residencial

2021

São Paulo - SP

Visitar site

   

Arquivo para download

Justificativa

Arquitetura contemporânea, volumetria diferenciada e design geométrico na fachada de painéis que se encaixam e têm efeito de aço corten marcam o Gabell Jardins, o residencial da Tegra que é Master Imobiliário. Lançado em 2018, na Alameda Gabriel Monteiro da Silva, região nobre de São Paulo, o empreendimento é um dos pioneiros do novo eixo de verticalização da Avenida Rebouças. Próximo do metrô Oscar Freire, o edifício de 31 andares foi construído em valorizado terreno de 1.618,53 m². São 120 apartamentos de 2 dormitórios, de 60 m² a 71 m², e preço médio de R$ 1,2 milhão, no perfil de primeiro imóvel de alto nível para solteiros e casais jovens com e sem filhos, e quatro unidades dúplex nos 13º e 24º andares. De forma singular, o projeto colocou os terraços nos quatro cantos do prédio, conferindo luminosidade às salas. Na fachada ativa, surpreende uma sofisticada loja de pé-direito duplo, com entrada independente. Lazer diversificado, lounges e cuidadoso paisagismo destacam-se no edifício, que tem, no rooftop, piscina e um airlounge de pé-direito duplo todo envidraçado. O Gabell Jardins era o produto que faltava na região. Vendeu 102 unidades até fevereiro de 2021, com VGV de R$ 121,6 milhões.

“Com design que se insere na personalidade única da Alameda Gabriel Monteiro da Silva, combinada à alma cosmopolita de São Paulo, o Gabell Jardins já se tornou um marco na região. Agora, o Master Imobiliário coroa esse projeto, que agrega ainda mais sofisticação à proposta urbanística da cidade.”
João Mendes
Diretor de Incorporação da Tegra
Originalidade e alto padrão no residencial da Tegra na região da Rebouças

Saiba mais
Ao identificar o local ideal para erguer o Gabell Jardins no ponto mais alto da Gabriel Monteiro da Silva, a Tegra iniciava o pioneirismo na construção de um dos primeiros edifício no processo de verticalização da região, em terreno que é resultado da junção de áreas antes ocupadas por três imóveis antigos. As restrições de horário na execução da obra exigiram estratégias, dentre elas a utilização de painéis pré-moldados na fachada, que aumentaram a velocidade da construção e resultaram em economia na manutenção. Apontado pelo empreendedor, o impacto maior do edifício na sua área de influência está no giro econômico do comércio local, “com mais pessoas morando e usufruindo da região, além da conveniência que a loja do térreo traz para o morador e o seu entorno”.
  Anterior    Próximo  
  • Realização
  • FIABCI-BRASIL
  • SECOVI-SP